Notícias

19/10/2011 – São Paulo: A agricultura tal como a conhecemos hoje está em apuros: as atividades agrícolas são responsáveis por 70% do uso da água do planeta e respondem por 75% dos gases de efeito estufa nos países pobres, onde falta tecnologia. Por outro lado, enquanto 925 milhões de pessoas (cinco vezes a população brasileira) ainda passam fome no mundo, o desperdício chega a metade da produção nas nações em vias de desenvolvimento. Estes são os principais pontos levantados pelo relatório “Estado do Mundo 2011 – Inovações que Nutrem o Planeta”, documento que o Instituto Akatu e o Worldwatch Institute Brasil (WWI Brasil) lançaram nesta quarta-feira (19/10) na versão em português, no teatro Eva Herz, da Livraria Cultura, em São Paulo. O documento conclui que “os desafios e incertezas a serem enfrentados exigem uma mudança de paradigma que deve levar em conta a complexidade de “agri” e “cultura”, a intersecção confusa entre lavoura e sistemas humanos, sociais e políticos; e que a atividade agrícola sustentável requer muito conhecimento, pesquisa e a combinação de inovações com a experiência dos agricultores”. O evento de lançamento do relatório contou com um debate sobre a segurança alimentar e as inovações para a sustentabilidade no campo. Helio Mattar, diretor-presidente do Instituto Akatu, e Eduardo Athayde, presidente do WWI Brasil, mediaram a discussão que teve como convidados o professor Luiz Carlos Beduschi Filho, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da USP e ex-consultor da FAO/ONU, e o economista e engenheiro José de Anchieta Ribeiro Santos, coordenador da Pastoral da Criança no Estado de São Paulo. Leia a matéria completa no site do Instituto Akatu aqui.

Instituto Ethos