Notícias

Capa POCKET FINAL

O relacionamento com o público sempre foi muito importante para nós. Pensando nisso, desde o início do projeto Encontros com o Professor – um talk-show ao vivo, no qual o jornalista Ruy Carlos Ostermann recebe expoentes da cultura brasileira para uma conversa informal – , o Ruy assumiu o compromisso de escrever uma coluna exclusiva, enviada por email ao público do evento, nas semanas em que não havia bate-papo.

Nos 9 anos de projeto, foram escritas mais de 200 crônicas sobre assuntos variados – desde textos filosóficos, percepções do cotidiano, memórias de infância, reflexões sobre acontecimentos da cidade, conversas e lembranças de amigos, até o prazer das férias. Sempre com o estilo e a fluência própria do Professor. Em 2012, um novo desdobramento tomou forma: resolvemos reunir parte destas crônicas em livro, dando origem a um outro projeto da Signi, o Pocket.

O Pocket é um livro de bolso, formado por 104 dessas crônicas. Selecionadas por Luís Augusto Fischer e Katia Suman, os textos resumem o prazer da conversa e da troca. No site do Encontros com o Professor, é possível acessar todos estes textos.

Canoas_Guajuviras 

Viabilizado com o patrocínio da empresa Bettanin, com financiamento do Pró-Cultura/RS – Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, a tiragem de 2.100 exemplares foi destinada a nove projetos de formação de leitores, realizados pelas secretarias estaduais de educação e pelas secretarias municipais de Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Cachoeirinha. Três escolas estaduais e três municipais de cada cidade receberam a doação de 50 livros cada, totalizando 300 livros por cidade. Em Porto Alegre, foram 600 livros, 100 por escola.

De 2012 a 2013, foram promovidos encontros entre o Ruy e os alunos, com o intuito de fortalecer o gosto pela leitura, aproximar o público leitor do escritor e proporcionar um momento de troca e diálogo aberto. Em cada Encontro, os alunos ficavam livres para contar histórias que criaram e para fazer do Ruy o entrevistado da vez.     

Instituto Ethos