Notícias

Pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) deram um passo significativo em direção à sistemas de bateria livre de armazenamento. Eles desenvolveram um chip que poderá aproveitar a luz natural, o calor e a vibração do ambiente para produzir energia. Isso significa que o dispositivo pode derivar energia a partir de uma multiplicidade de fontes de uma só vez. Se uma fonte não estiver disponível, as outras tomam o seu lugar, dando ao dispositivo uma fonte quase constante de energia.

Ao contrário das baterias tradicionais, o chip utiliza arquitetura de duplo caminho, o que supera um dispositivo de armazenamento e alimenta o dispositivo diretamente. Isso torna a bateria mais eficiente, segundo o professor do MIT, Anantha Chandrakasan, responsável pelo estudo.

A tecnologia não só é mais eficiente, como também mais ecologicamente correta, já que promete reduzir significamente o descarte inadequado de pilhas. Ela também poderia ser aplicada em dispositivos biomédicos, sensores ambientais e medidores em locais remotos.

O chefe de tecnologia para soluções de fornecimento de energia da Texas Instruments, David Freeman, mesmo não estando envolvido no trabalho, falou sobre a importância da nova tecnologia. “O trabalho que está sendo feito no MIT é muito importante para permitir a colheita de energia em vários ambientes. A capacidade de extrair energia a partir de várias fontes diferentes ajuda a maximizar o poder para mais funcionalidades a partir de sistemas, como nos sensores sem fio. Os benefícios de operar a partir de múltiplas fontes, não só incluem a maximização do pico de energia, mas também ajuda quando apenas uma fonte de energia pode estar disponível”, explicou Freeman no portal do MIT.

O trabalho foi financiado pela Interconnect Focus Center, um programa combinado pela a Defense Advanced Research Projects Agency e as empresas nas indústrias de defesa e de semicondutores.

Fonte: EcoDesenvolvimento

Instituto Ethos